15 de setembro de 2010

"Claro que você não tem culpa, coração, caímos exatamente na mesma ratoeira, a única diferença é que você pensa que pode escapar, e eu quero chafurdar na dor deste ferro enfiado fundo na minha garganta seca (...) não, não estou desesperada, não mais do que sempre estive." 
Caio F.

4 comentários:

Tatá R. da S. disse...

Amor é paz e desespero, juntos.
=*

D i c a disse...

Caio, sempre ele.

lindo aqui!

Juliana Biagi disse...

AMO a maneira como as palavras de Caio nos tocam! :)

mente inconstante disse...

Ah q essa ratoeira nos proporciona as vezes uma dor gostosa. Masoquismo.